sexta-feira, 29 de abril de 2011

FRAGMENTOS II - Repost



FRAGMENTOS II
Nada se sabe que não seja além daquilo que o tempo ensina. Se há um saber possível, esse se mantém na linha do tempo. Tempo individual e tempo cultural. Da experiência inicial à formação de idéias. Bem no início da vida de cada um e dos contatos, comunicações entre os seres.
Mais que isso, esse tempo é contado a partir de que o ser pensante e “criativo” tenha abstraído o saber e transformado em conhecimento. Ser é o que se percebe no universo com algo que de alguma forma faz eco dentro de si. Os meandros do psíquico que é abrigado por um corpo e seus conteúdos aguardam para poder mostra-se como parte desse universo que é constituído na interação interno e externo pelos sentidos, instrumentos de movimentação e comunicação.
Eles já haviam se perguntado sobre as consequências do tempo inúmeras vezes, em algumas se apropriaram um mínimo do que havia de livre-arbítrio entre um e outro ponto, entre um e outro tempo. Não fosse isso não chagariam a lugar algum. Perceberam-se tantas vezes em estado de ilusão em relação aos movimentos realizados. Pois nem sempre um movimento significa a mudança de posição desejada.
Certo dia, bem cedo, o sol ainda não havia despontado na linha do horizonte, mas ela já havia saído da cama. Alegrou-se por poder desfrutar apenas o barulho, o cantarolar dos pássaros, nessa estação, outono, bem menos entusiasmados. Os barulhos decorrentes dos deslocamentos da população urbana ainda não vociferavam poluindo os ouvidos. Respirou fundo e lembrou-se dos tempos de infância quando o cantar dos galos era o despertador. Não era o caso, necessidade externa levantar tão cedo, mas os cheiros orvalhados da grama e das flores fizeram eco em seus sentidos.
Pensou em acordá-lo para desfrutar da harmonia das cores promovida pelo alvorecer, do cheiro da grama, das folhas e das flores próprias daquele momento do dia. Um dia que prometia sol aberto. Não o fez, pois conhecia as diferenças sobre o que promovia prazer para cada um.
A capacidade de lembrar indica que há um percurso, dados e fatos vivenciados. O presente passa a cada mínimo de uma cronologia ou consciência da existência. Portanto, o futuro também passa; primeiro no imaginário, segundo nos atos e ações. E com isso constamos uma a-temporalidade concreta, e uma a-espacialidade flexível e elástica. Quanto mais se vive, mais constatamos que nosso conhecimento é ínfimo diante complexidade para o mais importante, viver em harmonia, como um fragmento do cosmos. É tão simples.
Mas é a partir do momento que o sol se põe na linha do horizonte que se pode perceber com mais nitidez as faíscas, a fumaça e as línguas de fogo que são lançadas pela erupção de vulcões, cuja potência e tamanho de espaço que ocupam, estão submersa ou abrigada por camadas de elementos não vulcânicos.
A linguagem pode ser comparada a essas faíscas, chispas, fumaça e as línguas de fogo. São anúncio de algo poderoso que existe e que é em outro local em que pode ser visto, observado sua origem e sua as condições de força.

Por: Salete Cardozo Cochinsky

14 comentários:

Everson Russo disse...

A vida é feita dos fragmentos que dela vamos colhendo,,,acolhendo,,,como um castelo de pedras que nos atiram,,,quando a noite cai na linha do horizonte,,,tudo fica sim bem mais perceptivel..tudo fica mais lucido e mais,,,dolorido talvez...grande beijo de bom final de semana...seu blog é belissimo,,,obrigado pela visita...volte sempre que desjear...

ISA disse...

A vida é feita de fragmentos que vamos colhendo ao longo do caminho que chegará ao fim, nesse fim, seremos nós um fragmento do nada e do tudo... até as estrelas têm vida, mesmo vivendo de fragmentos, brilham séculos depois, de...

Por aqui passei...gostei... comentei... e voltarei!
Beijo
Isa

Everson Russo disse...

Um grande beijo de bom sabado pra ti querida amiga...muita paz e poesia sempre...

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Bem-vindos Everson e Isa
Também visitei os Blog's de vocês e gostei da arte, do que li.
Grata e um bom final de semana para vocês.

Lau Milesi disse...

Querida amiga Sallly, quantas verdades em seu texto. Tempo...fragmentos...tempo...fragmentos...Até a natureza é feita de fragmentos. Veja as estações. Hoje estou num dia de silêncio, pensando no inverno que já se aproxima. Um caminho seria fechar os olhos, exercitar a imaginação e compor uma canção com esses fragmentos.

Um beijo e bom sábado.

Lau Milesi disse...

Sally, adorei ver o poeta Everson Russo aqui. Ele é uma pessoa maravilhosa, um amigo gentil e super cavalheiro. Beijosss

angela disse...

Muito interessante sua abordagem. Complexa, foge do comum. Goste.
abraços

Everson Russo disse...

Um beijo carinhoso de bom domingo e uma excelente semana pra ti querida amiga....paz, poesia e carinho sempre...

Kimbanda disse...

Na vida, a cada emoção boa pelos sentidos despertos, gera a vontade de partilhar.
Nem sempre tal é possível, mesmo respeitando o espaço, o tempo e a sensibilidade de cada um.

Consequências do tempo, ou a falta de recriar o tempo e o espaço, reinventando?

Há vulcões que se extinguiram e são unicamente aquilo que se pode ver sem alterações, outros estão em dissimulada actividade...

Um texto para reflectir e que permite retirar as mais variadas conclusões a cada leitura...

Inté,
Bj. e kandandos meus.

Daniele Barizon disse...

Amiga,

E que força têm as palavras nesse nosso jogo da vida!! Estamos de volta. Espero que esteja tudo bem e em paz com vcs!

Bjs!!

Tere Tavares disse...

"Ser é o que se percebe no universo com algo que de alguma forma faz eco dentro de si."
No caminho da linguagem dá-se a conhecer um pouco mais demoradamente o tempo, de dentro e de fora, de lugar e não-lugar.
Adorei tua prosa Salete. Abraço

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Obrigada
Sejam sempre bem-vindo para que possamos alimentar mutuamente nossos desejos de ler, escrever, estar em interlocução e buscando crescimento pessoal e social pelo intercâmbio de Idéias.
Beijos

Djabal disse...

The voice of the intellect is a soft one, but it does not rest until it has gained a hearing. Ultimately, after endlessly repeated rebuffs, it succeeds. This is one of the few points in which it may be optimistic about the future of mankind, but in itself it signifies not a little.
-- Sigmund Freud --

Você deu nova voz ao mestre Freud, agora mais poética.
Eu, coincidentemente, recebi esse fragmento (um daqueles dos quais é feito o mundo) otimista em relação ao nosso futuro, pelas repetidas tentativas do nosso pensamento. E acreditei que seria de bom gosto, acrescentar. Resta meu obrigado por compartilhar. Beijos. Sempre.

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Obrigada Djabal
Tua observação é pertinente.
Beijos